Inovação,

ADEMI-BA Em Pauta debateu inovações no mercado da construção civil

Na tarde do último dia 13, a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (ADEMI-BA) realizou a quarta edição do ciclo de palestras ADEMI-BA Em Pauta. Para falar aos associados sobre inovações na construção, o engenheiro civil Carlos Alberto Fevereiro, da Weber Saint-Gobain, ministrou duas palestras: “Patologias em Estruturas de Concreto Armado: causas, […]

16 junho, 2017
Imprimir
Tamanho da letra

Na tarde do último dia 13, a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (ADEMI-BA) realizou a quarta edição do ciclo de palestras ADEMI-BA Em Pauta. Para falar aos associados sobre inovações na construção, o engenheiro civil Carlos Alberto Fevereiro, da Weber Saint-Gobain, ministrou duas palestras: “Patologias em Estruturas de Concreto Armado: causas, prevenção e recuperação” e “Linha Weber Floor: sistemas de contrapiso autonivelantes”.

“A gente está com esse projeto na ADEMI-BA, um ciclo de palestras para o setor”, explicou Alexandre Landim, Diretor Técnico da associação. “Vamos manter essa agenda, tratando de assuntos técnicos”.

Em sua fala, que antecedeu o início da palestra, Landim ressaltou a iniciativa da ADEMI-BA de trazer para o associado eventos de conteúdo e com temáticas importantes para colocar em prática no futuro da construção civil.

“Vamos falar das principais patologias em estruturas de concreto e as soluções para evitar e reparar essas estruturas”, explicou o palestrante antes do evento. Na ocasião, Fevereiro aproveitou para elogiar o formato do ADEMI-BA Em Pauta. “Você reúne os principais players, procurando soluções inovadoras. Quando se tem uma cadeia produtiva acontecendo, o mercado enriquece”.

Durante a palestra, à qual os associados assistiram fazendo anotações e tirando dúvidas, Fevereiro falou sobre causas na deterioração do concreto, englobando processos químicos e físicos que culminam no desgaste das armaduras – e o que pode ser feito para minimizar e corrigir danos. “Todo mundo acha que o concreto resiste a tudo”, disse.

Compartilhe

Relacionados